Coração de Sião

Coração de Sião - Março de 2020

| Imprimir | PDF 

MARÇO 2020 - ANO DO JUBILEU - 25 ANOS

“As três dimensões do Amor!”

A Quaresma, é um tempo propício para a nossa conversão, para nos achegarmos ao Coração Amoroso e Misericordioso de Deus, mas para isso precisamos desejar e usar dos meios que a Igreja nos indica.

Este período do ano litúrgico, tempo que precede e dispõe à celebração da Páscoa. Tempo de escuta da Palavra de Deus e de conversão, de preparação e de memória do Batismo, de reconciliação com Deus e com os irmãos, de recurso mais frequente às “armas da penitência cristã”: a oração, o jejum e a esmola. Também é o ponto de partida de uma transformação de vida; os quarenta dias de duração são um tempo propício para viver a “operação saída”, ou seja, expandir a vida em novas direções, rompendo com aquilo que é rotineiro, estreito e atrofiante. Se, nesse tempo, algo calar fundo, o ano se tornará pequeno para aquele que vive uma existência com mais intensidade, coerência e solidariedade.

Este tempo especial certamente mobilizará e ativará todas as dimensões de nosso ser: nossos sentidos se expandirão, olhando, escutando e sentindo a realidade que nos envolve; nossa mente tornar-se-á mais clara, sabendo discernir e não se deixando manipular; nosso coração se fará mais atento e misericordioso diante do sofrimento humano; nossa alegria que será o fermento do pão cotidiano, compartilhado com os outros. E se dedicarmos mais tempo ao silêncio e à oração, recobraremos energia e sentido, necessários para sair de uma serie de normas e conceitos doentios de todos os dias.

A Igreja nos proporciona este momento litúrgico como parada estratégica em meio à voracidade do caminho e perguntar-nos se vivemos como realmente desejamos viver; se haverá algum reajuste necessário para reorientar nossos passos de maneira mais acertada, para estabelecer uma harmonia entre cabeça e coração, desejos e hábitos. A Vida de Jesus, testemunhada nos evangelhos, nos convida a viver de um modo mais integrado.

Somos o que somos graças a essa matriz de relações que nos conecta conosco mesmos, com os outros, com Deus e com as criaturas. Não nos estranhará, então, que a liturgia nos convide a perguntar a nós mesmos como nos relacionamos com nossos desejos/impulsos/decisões (jejum), como consideramos os nossos semelhantes (esmola) e como cuidamos de nossa amizade com Deus (oração).

Nesta perspectiva, as três disciplinas espirituais da Quaresma (oração, jejum e esmola), encontram sua relação com as três dimensões do amor: a Deus, ao próximo e a si mesmo.

Neste ano, então vivamos de forma intensa práticas quaresmais!

 Fonte - https://centroloyola.org.br/revista/outras-palavras/espiritualidade/869-quaresma-da-misericordia


INTENÇÕES DO MÊS

 Pelas intenções do Santo Padre, o Papa Francisco, para o mês de março:  pede pelos católicos na China. Rezemos para que a Igreja na China persevere na fidelidade ao Evangelho e cresça na unidade.

Que Santa Maria, Mãe de Deus e São Miguel, protejam a Igreja de toda ação do diabo, que quer sempre semear a divisão.

Lembremos também e rezemos pelos nossos irmãos, os cristãos, que são perseguidos e martirizados em todo o mundo.

Pelo Brasil, que a justiça Divina, prevaleça sobre toda a violência, corrupção, descaso com a vida humana e seus valores.

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

“Senhor, nesta Quaresma, tempo de mergulhar no meu interior, de revisão e de conversão, ensina-me a descer sempre mais até onde Tu te encontras: o meu coração. Como "descer" até aí? Pelo silêncio, encontrando tempo para rezar, pela leitura da Tua Palavra que tanto me quer dizer, pelos Sacramentos, especialmente a Confissão e a Santa Missa. Também pela aceitação das contrariedades, o peso das circunstâncias e da monotonia da vida… com os olhos postos em Ti. Senhor, Tu que estás no meu íntimo, ajuda-me nesta Quaresma, a fazer uma viagem ao meu interior, para aí me encontrar conTigo!”

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

Fonte - https://padrepauloricardo.org/blog/a-oracao-de-um-carmelita-para-a-quaresma

Compartilhar

Coração de Sião - Fevereiro de 2020

| Imprimir | PDF 

FEVEREIRO 2020 - ANO DO JUBILEU - 25 ANOS

“A partir do Amor Misericordioso de Cristo!”

Vamos refletir um pouco sobre o lugar que Cristo está ocupando em nossa vida e em tudo que a ela está relacionada.

“Mas amamos, porque Deus nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê. Temos de Deus este mandamento: o que amar a Deus, ame também a seu irmão”. (1 Jo 4, 19 - 21).

A cada início de ano nos enchemos de expectativas, mas será que essas são coerentes com este grande Amor que Deus tem por cada um de nós? Precisamos saber onde está a nossa esperança, em quem esperamos.

Normalmente nossas expectativas são de interesse pessoal e se baseiam em projetos, em promessas, em mudanças... Por isso, grande parte delas são frustradas em sua concepção, pois não as colocamos sob o olhar Daquele que tudo pode. É preciso que compreendamos que toda a nossa vida, expectativas, nossa esperança, já nesta vida, deve estar sob o Senhorio de Cristo.

Agora é preciso saber que “se é só para esta vida que temos colocado a nossa esperança em Cristo, somos, de todos os homens, os mais dignos de lástima”. (1 Cor 15, 19)

Para um melhor encaminhamento da nossa vida, devemos ter consciência que “a razão da nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência de que, no mundo e particularmente entre nós, temos agido com santidade e sinceridade diante de Deus, não conforme o espírito de sabedoria do mundo, mas com o socorro da graça de Deus”. (2 Cor 1, 12)

Se nossa vida, o nosso viver, nossos projetos, nossas expectativas e tudo mais está sob o Senhorio de Cristo, com certeza obteremos a partir do Amor Misericordioso de Cristo o socorro da “Graça de Deus"!

Precisamos, no entanto a cada manhã, a cada dia, dizer: hoje eu “entrego o meu caminho ao Senhor; confio Nele, e Ele tudo fará”. (cf. Sl 36,5).

Todos nós nos dias atuais, para que nossas vidas e tudo mais possam ter o verdadeiro sentido, precisamos fazer uma grande experiência com o Amor do Senhor, que nos envolve e quer que o Seu Amor seja compartilhado, seja testemunhado.

Encerramos esta reflexão ainda com um aprendizado que Ele mesmo nos diz: “Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas”. (Mt 11, 29)


INTENÇÕES DO MÊS

Pelas intenções do Santo Padre, o Papa Francisco, para o mês de fevereiro: pede para escutar os gritos dos migrantes. Rezemos para que o clamor dos irmãos migrantes vítimas do tráfico criminoso seja escutado e considerado.

Lembremos também e rezemos pelos nossos irmãos, os cristãos, que são perseguidos e martirizados em todo o mundo.

Pelo Brasil, que a justiça Divina, prevaleça sobre toda a violência, corrupção, descaso com a vida humana e seus valores.

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

“Não me irrites por causa dos que agem mal, nem invejes os que praticam a iniquidade, pois logo eles serão ceifados como a erva dos campos, e como a erva verde murcharão. Espera no Senhor e faze o bem; habitarás a terra em plena segurança. Põe tuas delícias no Senhor, e os desejos do teu coração ele atenderá. Confia ao Senhor a tua sorte, espera nele, e ele agirá. Como a luz, fará brilhar a tua justiça; e como o sol do meio-dia, o teu direito. Em silêncio, abandona-te ao Senhor, põe tua esperança nele. Não invejes o que prospera em suas empresas, e leva a bom termo seus maus desígnios. Guarda-te da ira, depõe o furor, não te exasperes, que será um mal, porque os maus serão exterminados, mas os que esperam no Senhor possuirão a terra. Mais um pouco e não existirá o ímpio; se olhares o seu lugar, não o acharás. Quanto aos mansos, possuirão a terra, e nela gozarão de imensa paz”. (Sl 36, 1-11) 

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!

Reze: Pai nosso, Ave Maria, Glória.

Compartilhar

Coração de Sião - Janeiro de 2020

| Imprimir | PDF 

JANEIRO 2020 - ANO DO JUBILEU - 25 ANOS

“O Amor, decifra nossos pensamentos.”

O que vivenciamos na liturgia da Igreja no início do ano litúrgico, nos convida a contemplar, entre outras, a figura de Maria. Nossa Senhora, a Virgem que concebeu, do Espírito Santo, o Verbo que se fez carne entre nós, só se tornou tão fecunda porque “guardava todas as coisas e as meditava no silêncio de seu coração” (cf. Lc 2,51). Então, no início do ano civil, somos convidados a nos esvaziarmos de todo o “barulho” reinante na sociedade moderna (especialista em dispersão) e assim concentrarmos o nosso coração para ouvirmos a voz de Deus, que se manifesta de modo particular no silêncio.

“É preciso nos conscientizarmos, que estamos saturados de palavras, o silêncio é oração. Diante de Deus as palavras perdem sua força. Não é pelas muitas palavras que pronunciamos que Deus vai escutar nossos pedidos. ‘Não rezai como os pagãos que acham que são ouvidos pelas muitas palavras que dizem’ (Mt 6,7). A oração deve ser sóbria, silenciosa. Deus permite que falemos para nosso desabafo, porque, na verdade, antes do nosso falar, Ele nos conhece. O salmista nos recorda: ‘A palavra ainda não chegou à minha garganta e vós a conheceis toda’ (Sl 139).

Estar em silêncio diante de Deus é deixar que Ele, Amor, decifre nossos pensamentos e nosso respirar. São João da Cruz recorda que a eficácia da oração não consiste em pedir mas em mostrar nossas necessidades: Marta e Maria não pedem a Jesus o milagre, mas dizem que o amigo que ele ama está doente... Maria, na festa de Caná, não pede o milagre, mas aponta que está faltando o vinho.

Os grandes mestres do Espírito de todas as religiões, dos profetas do Antigo Testamento a Gandhi, sempre convidaram ao silêncio para ultrapassar o humano e chegar ao divino. Principalmente interessantes são os ‘silêncios de Jesus’. É preciso ler com atenção apenas um dos Evangelhos e iremos perceber que, além das palavras que os evangelistas nos transmitem, existem muitas palavras que nunca foram pronunciadas e fazem parte do silêncio de Jesus.

Não há dúvida, que o ruído é dos homens e que o silêncio pertence a Deus, que por ele se comunica. Nunca diga que não sabe rezar, porque não somos nós que rezamos, é o Espírito Santo que reza em nós. É o silêncio que se faz oração na vida de cada um de nós. Fuja de vez em quando de todo o barulho ou de todas as orações que exigem palavras e permaneça silencioso dentro de você. Permaneça silencioso na escuta da voz de Deus que sobe de seu coração. Levante-se e, de joelhos, espere que o Senhor o visite no silêncio de Seu amor. É no silêncio do deserto, da noite, da montanha, que Deus prepara seus profetas”. 

Fonte: Silêncio, Frei Patrício Sciadini, OCD, Ed.Loyola, págs. 69/70


INTENÇÕES DO MÊS

 Pelas intenções do Santo Padre, o Papa Francisco, para o mês de janeiro: pede pela promoção da paz no mundo. Para que os cristãos, que seguem outras religiões e as pessoas de boa vontade promovam a paz e a justiça no mundo.

Que neste novo ano, vivamos momentos de verdadeira confraternização, com muita paz na presença do Senhor!

Rezemos ainda pelos cristãos, que são perseguidos e martirizados em todo o mundo.

Pelo Brasil, que a justiça Divina, prevaleça sobre toda a violência, corrupção, descaso com a vida humana e seus valores.

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


REZEMOS

“Mãe do Silêncio e da Humildade, tu vives perdida e encontrada no mar sem fundo do Mistério do Senhor. Tu és disponibilidade e receptividade, és fecundidade e plenitude. Resplandecem em ti a maturidade humana e a elegância espiritual. És senhora de ti mesma antes de ser nossa Senhora. Em ti não existe dispersão. Estás dentro de Deus, e Deus dentro de ti. O Mistério total te envolve e te penetra e te possui, ocupa e integra todo o teu ser. Tudo ficou assumido em ti, e divinizado.

Mãe, teu silêncio não é ausência mas presença. Estás imersa no Senhor, ao mesmo tempo atenta aos irmãos, como em Caná. A comunicação nunca é tão profunda como quando não se diz nada; o silêncio nunca é tão eloquente como quando nada se comunica. Faz-nos compreender que o silêncio não é desinteresse pelos irmãos mas fonte de energia e irradiação. Faz que compreendamos que, para derramar, é preciso preencher-se.

Afoga-se o mundo no mar da dispersão, e não é possível amar os irmãos com um coração disperso. Faz-nos compreender que o apostolado, sem silêncio, é alienação, e que o silêncio, sem apostolado, é comodidade. Envolve-nos em teu manto de silêncio e comunica-nos a fortaleza de tua Fé, a altura de tua Esperança e a profundidade do teu Amor, ó Mãe Admirável do Silêncio”. Amém!

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!

Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao teu!

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!

Compartilhar
Back to top

Copyright © Comunidade Sião 2020

Template by Joomla Templates & Szablony Joomla.